Make your own free website on Tripod.com
XIV Copa do Mundo da FIFA - 1990
Enzo Francescoli
Home

francescoli-copa-america.jpg

Enzo Francescoli Uriarte (Montevidéu, 12 de novembro de 1961) é um ex-futebolista uruguaio, tendo sido um grande ídolo da seleção do Uruguai, mas também da equipe argentina do River Plate, onde conquistou muitos títulos, dentre eles a Taça Libertadores da América de 1996, destacando se pelo seu futebol clássico e elegante.

Recoba foi apontado como seu sucessor no Uruguai.

A carreira de Enzo começou no modestíssimo Wanderers, de Montevidéu. Em 1980 ele estreou na equipe principal e o Wanderers conseguiu seu melhor resultado em 59 anos: o vice-campeonato, atrás apenas do Nacional. No ano seguinte, ele ajudou a Seleção Uruguaia de Futebol a conquistar o Sul-Americano de Juniores, no Equador, e foi eleito o melhor jogador da competição. Em 1983, o River Plate o contratou por 360 mil dólares. Esse foi um dos melhores negócios da história do clube.

O príncipe uruguaio Francescoli se salvou na geração perdida do futebol de seu país. De tão bom, virou ídolo dos argentinos. Jogando na Celeste, com a camisa 10 o maior ídolo de sua geração. Cada vez que ele entrava em campo, a torcida do River Plate cantava: "U-ru-guayo!". Vindo de argentinos, não podia haver homenagem maior. Ao deixar o futebol, no início de 1998 (recusando uma proposta de 1 milhão de dólares para continuar), Francescoli já estava consagrado como o maior jogador do Uruguai até então.

O retrospecto de Francescoli chama a atenção em meio à decadência do futebol uruguaio: de quatro Copas América que ele disputou, conquistou três, perdendo apenas a de 1989, na final contra o Brasil. Em 1983, fez o primeiro gol na vitória por 2 x 0 sobre o Brasil, no jogo de ida da decisão (então em duas partidas).

Em 1987, brilhou na semifinal contra a Argentina, em pleno Monumental de Núñez. Em 1995, já aos 33 anos, ergueu pela última vez a Copa América. Os uruguaios lhe deram o apelido de "El Príncipe", emprestado de outro grande ídolo do país, Anibal Ciocca, craque dos anos 30 e 40. Quando Enzo parou de jogar, seu rosto já estava estampado numa bandeira da torcida do River, ao lado de Di Stefano e Labruna, entre outros. Nos sete anos passados no Monumental, em dois períodos diferentes, ganhou tudo que poderia sonhar: cinco títulos argentinos, uma Supercopa e uma Libertadores – a primeira da história do River. Depois que ele parou, o River deixou de ser temido como antes.

Enzo Francescoli é o maior ídolo do francês Zinedine Zidane. Tanto assim o é que o mestre francês homenageou-o colocando o nome Enzo em seu primeiro filho.

Diz a lenda que Zidane, nos idos em que jogava no Olympique de Marseille, usava uma camisa do River Plate (que havia pertencido a Enzo) por baixo do seu uniforme.

volta à página inicial