Make your own free website on Tripod.com
XIV Copa do Mundo da FIFA - 1990
Rinat Dasayev
Home

das.jpg

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rinat_Dasayev

Rinat Fayzrakhmanovich Dasayev ou Rinat Fäyzeraxman ulı Dasayev - respectivamente, em russo, Ринат Файзрахманович Дасаев e, no cirílico tártaro, Ринат Фәйзерахман улы Дасаев (Astrakhan, 13 de Junho de 1957) - é um ex-jogador de futebol russo de origem tártara.

Seu sobrenome costuma ser grafado também como "Dasaev", "Dassaev" e "Dassaiev", dentre outras variações.

Jogou em apenas três clubes: começou em 1975 no Volgar Astrakhan, de sua cidade natal. Em 1977 foi para o Spartak Moscou, onde ficaria por onze anos. Apesar da relativa decadência do clube no período (ganhou o campeonato soviético apenas duas vezes, em seu primeiro e o penúltimo anos no clube), destacava-se entre os torcedores: diziam-no que conseguia voar de Moscou aos Himalaias.

Dasayev aprimorava sua impulsão, reflexo e agilidade tanto na horizonatal quanto na vertical ao fim de cada treinamento, fazendo sessões de corrida, salto em altura e em distância. Primava também pelo sangue frio frente aos adversários e pelo entrosamento com os outros jogadores de defesa. Habituado demais aos zagueiros do Spartak, acabou não se saindo tão bem quando trocou de clube, em 1988; com a glasnost, a abertura política da União Soviética, pôde jogar na Europa Ocidental, contratado pelo Sevilla.

Em 1991, após o término de seu contrato com o clube espanhol, decidiu parar de jogar.

Foi o goleiro titular da URSS nas Copas de 1982 e 1986, na Olimpíada de 1980 (onde ganhou o bronze) e na Eurocopa 1988 (onde foi vice-campeão e eleito o melhor goleiro do torneio e, naquele ano, do mundo). Figurou ainda na Copa do Mundo de 1990, onde jogou apenas na estreia do time, em derrota de 0 a 2 para a Romênia. Seria seu último jogo pela seleção.

Destacou-se especialmente no mundial de 1982, sendo lembrado por vários brasileiros pelo pesadelo que foi a sua grande atuação no jogo em que o Brasil venceu suadamente a União Soviética.

É considerado, ao lado do também ex-goleiro russo Lev Yashin e do ex-atacante ucraniano Oleh Blokhin, um dos três melhores futebolistas da extinta União Soviética, tendo sido eleito por Pelé, em 2004, um dos 125 melhores jogadores e ex-jogadores de futebol ainda vivos. É o segundo futebolista que mais jogou pela URSS, atrás apenas de Blokhin.

É um russo de origem tártara (povo de origem mongol, com aparência oriental), assim como dois jogadores da Rússia presentes na Copa de 2002: o também goleiro Ruslan Niğmätullin e o meia Marat İzmailev - curiosamente, esteve presente um terceiro tártaro naquele mundial, o turco İlhan Mansız. Dasayev também tinha um tártaro como seu colega no Spartak e na seleção, o defensor Wağyz Hidiätullin.

Após ter problemas com alcoolismo nos anos 90, depois de encerrar a carreira, recuperou-se e participou da comissão técnica da Seleção Russa entre 2003 e 2005, como preparador de goleiros. Desde 2006, está na comissão do Torpedo Moscou, onde é treinador de goleiros.

Foi escolhido para ser o embaixador da final da temporada 2007-08 da Liga dos Campeões da UEFA, partida esta disputada no Estádio Luzhniki (antigo Estádio Lênin), em Moscou, campo onde a Seleção Soviética costumava mandar seus jogos.

No mesmo Luzhniki, em 2007, realizou-se um amistoso de veteranos para as comemorações de seu 50º aniversário, em partida que contou com as participações estrangeiras de George Weah, Abédi Pelé, Toni Polster, Luigi de Agostini, Fernando de Napoli, Andoni Zubizarreta, Krasimir Balakov e três ex-jogadores que o enfrentarão na Copa de 1982: o neozelandês Wynton Rufer e os brasileiros Júnior e Éder, autor do dramático gol da virada canarinha sobre os soviéticos.

volta à página inicial