Make your own free website on Tripod.com
XIV Copa do Mundo da FIFA - 1990
John Aldridge
Home

aldridge_goal_semi_880409cs.jpg

John William Aldridge (Liverpool, 18 de setembro de 1958) é um ex-futebolista irlandês nascido na Inglaterra.

Seu maior momento veio quando já tinha quase 30 anos, ao se transferir em 1987 para o Liverpool, de sua cidade natal e clube de seu coração. Aldridge começara em 1979 no clube galês Newport County, então na quarta divisão do campeonato inglês. Ajudou o time a chegar nas quartas-de-final da Recopa Europeia, à época o segundo maior torneio europeu de clubes, e a promovê-lo à terceira divisão, em 1984.

Antes do término da temporada, trocou-o por uma equipe já da terceirona inglesa, o Oxford United, que ascendeu à segunda divisão.

No Oxford, quebrou o recorde de gols do clube em uma temporada, marcando 34 em 30 partidas na temporada 1984/85, sendo o primeiro jogador a marcar mais de 30 gols na segunda divisão em 19 anos. No embalo da artilharia de Aldridge, o Oxford chegou à divisão de elite da Inglaterra. Em 1985/86, Aldridge foi o terceiro artilheiro do campeonato e levou o clube à seu maior troféu, a Copa da Liga Inglesa, em vitória de 3 a 0 sobre o Queen's Park Rangers em Wembley.

Na campanha do título, marcou 14 gols em 17 partidas. Aí atraiu o Liverpool, impressionado com seus 72 gols em 114 partidas pelo Oxford. Na mesma leva, os Reds trouxeram o jamaicano John Barnes.

Na primeira temporada no Liverpool, um gol marcado em cada uma das nove primeiras partidas, invencibilidade da equipe nas 29 primeiras rodadas, a artilharia e o título inglês. Sua única falha foi um pênalti perdido contra o Wimbledon na final da FA Cup. O Liverpool perdeu o jogo por 1 a 0.

A temporada seguinte foi mais difícil: ganhou a concorrência do já ídolo galês Ian Rush, que voltava de uma mal sucedida vida na Juventus. Em abril de 1989, 96 torcedores do clube morreram na tragédia de Hillsborough. Abalado, Aldridge foi à cada funeral que pôde.

Deixaria o clube onde marcou 50 gols em 83 jogos naquele ano, para a Real Sociedad.

No mesmo ano em que Mo Johnston tornava-se o primeiro católico em 109 anos no Glasgow Rangers, Aldridge tornou-se o primeiro jogador não-basco no clube que, até então, adotava a mesma medida do Athletic Bilbao.

Aldo fez sucesso no clube de San Sebastián, mas foi pressionado a deixa-lo pela família, que não se adaptou à Espanha. Nas duas temporadas espanholas, marcou 33 vezes em 63 jogos. Aldridge então voltou às redondezas de Liverpool, para jogar no Tranmere Rovers. Na primeira temporada, anotou 40 gols. Por lá ficaria até encerrar a carreira, aos 40 anos de idade, com 138 gols em 242 aparições pelo Rovers. A partir de 1996, acumulou as funções de jogador e técnico da equipe, que treinou até 2001.

Aldridge, de ascendência irlandesa, adotara a Seleção da Irlanda, pela qual jogava desde 1986. Ajudou a equipe a se classificar para seus primeiros grandes torneios: a Eurocopa 1988, onde a equipe venceu os ex-patrícios ingleses por 1 a 0 e empatou em 1 a 1 com a então potência União Soviética, mas caiu na primeira fase ao ser derrotada pela Holanda. Os dois últimos adversários seriam finalistas do torneio.

Passando a admitir jogadores nascidos na Inglaterra, a Seleção Irlandesa, até então à sombra do maior sucesso da vizinha Irlanda do Norte, classificou-se também para sua primeira Copa do Mundo, a de 1990, onde reencontrou Inglaterra e Holanda na fase de grupos, além do Egito. Em seu primeiro mundial, os irlandeses chegaram às quartas-de-final, sendo eliminados no final da partida pelos anfitriões italianos.

Já com 36 anos, Aldridge foi aos Estados Unidos para a Copa do Mundo de 1994, segunda Copa sua e de seu país. Desta vez, os irlandeses venceram a Itália, na primeira fase, protagonizando uma das maiores zebras do torneio. Ao final da fase, todas as seleções do grupo terminaram com quatro pontos e mesmo saldo de gols. Seu gol na derrota de 2 a 1 para o México acabou sendo crucial, pois permitiu que a Irlanda classificasse-se para a segunda fase, com um gol pró a mais sobre a Noruega, que ficou em último lugar. Nas oitavas-de-final, novamente a Holanda interromperam o caminho dos irlandeses, classificando-se para enfrentar o Brasil nas quartas.

volta à página inicial